28 de março de 2015

:: Igreja em Selma acolhe a Igreja de Birmingham, 50 anos após afastar membros negros





Aquele domingo de Ramos em 1965 deixou uma cicatriz emocional na Igreja Episcopal de São Paulo em Selma.

Um grupo de paroquianos predominantemente negros da Igreja Episcopal de São Marcos em Birmingham seguiram para adorar na São Paulo em Selma, mas tiveram que voltar após serem chamados de "manifestantes forasteiros", ainda que fossem companheiros episcopais.

Neste domingo, as paróquias São Paulo e São Marcos vão se juntar para uma comemoração dos acontecimentos de 1965 que levaram à integração de São Paulo [à luta em prol dos direitos humanos, ao lado dos negros daquela cidade].

As duas paróquias vão compartilhar o serviço de Domingo de Ramos, às 10h30.

Membros da igreja São Paulo, a maioria dos quais são brancos, irão se juntar aos membros da igreja Episcopal de São Marcos, Birmingham, a maioria dos quais são negros, para o serviço. Os participantes irão incluir Lou Willie da São Marcos, que estava entre o grupo de paroquianos que foi convidado a se retirar da igreja de São Paulo, antes da plena integração [racial] que acabou acontecendo finalmente em 28 de marco de 1965.

A integração da São Paulo ocorreu poucos dias após a conclusão da famosa Marcha pelos direitos civis de Selma até Montgomery.

"Nosso serviço eucarístico irá revisitar as etapas onde a delegação foi impedida de culto", disse o reverendo Jack Alvey, reitor da São Paulo. "O clero e toda a liderança da igreja vamos nos ajoelhar diante das portas da paróquia. Vamos todos reconhecer e nos identificar como responsáveis pelos sistemas de injustiça e ódio em nosso mundo."

"As pessoas estão conscientes de que Deus está fazendo algo especial aqui em Selma. Queremos refazer os passos que foram visitados, há 50 anos", disse Rev. Alvey. "Estaremos entrando na adoração juntos, com o mesmo convite à adoração usado em 1965. Importante que confessemos que todos saímos partidos, que todos nós somos  pecadores. Todos nós mantemos preconceitos e pecados que nos separam uns dos outros como seres humanos. Esse mesmo quebrantamento é o que Jesus fixou na Cruz de uma vez por todas. Nós reconhecemos nossa fragilidade. E somente através de Jesus podemos viver completos. A justiça de Deus foi alcançada através de sua morte."

O serviço será transmitido ao vivo no site da Diocese Episcopal de Alabama.

No mês passado, a Igreja Episcopal de São Paulo ajudou na organização da Caminhada pela Unidade em Selma ao lado de outras igrejas.

Reportagem de Greg Garrison

Fonte: AL.com